terça-feira, 3 de novembro de 2015

E já é Novembro

Queria aproveitar que ainda é começo de mês para tentar marcar de alguma forma um retorno a postagens aqui. Um começo de mês é o ideal, na minha cabeça, é como se fosse uma segunda-feira ou primeiro dia do ano.

Bom, admito que as primeiras coisas que penso sobre Novembro são:
♥ Está pertíssimo do fim do semestre.
♠ Tenho muitos trabalhos a fazer e entregar e, infelizmente, não estou nem na metade...
♣ Logo visito São Paulo
♦ É o mês da Consciência Negra
♥ É o mês da campanha Novembro Azul, que também é importante.

Infelizmente nenhum deste tópicos traz exatamente um tema sobre o qual falar. Na verdade tenho muito interesse em falar sobre o mês da Consciência Negra, talvez durante este mês eu explane um pouco a respeito, sempre lembrando que só posso falar sob a minha perspectiva das coisas. Que, em resumo, é a de que o racismo ainda não foi erradicado da nossa sociedade e que ainda estamos na fase em que sim, é preciso falar sobre racismo e etc.

Bom, também tem o fato de que o Halloween acabou de passar. Eu não comemorei de forma nenhuma, notei que apesar de não ter nada contra a data, eu a esqueço e não sinto exatamente empolgação em comemorar "na vida real" o Halloween. Apenas após a data comecei a cogitar que ano que vem talvez eu pudesse comemorar vendo filmes clássicos de terror, pode ser interessante...

Acho que uma coisa marcante sobre o finzinho do meu mês é que fui visitada pelo meu namorado. Sim, eu tenho um namorado e tive um blog por anos sem comentar nada a respeito! Nós namoramos à distância e no geral não nos vemos muito. A vinda dele foi cheia de comilanças e alegria. Infelizmente (de novo), eu me distraí tanto me divertindo que só consegui tirar fotos de comida (para variar) e não consegui tirar uma única foto com ele (!!!). Só o fotografei ao lado dos meus amigos, em uma cafeteria de um shopping.

Bizarramente eu sou muito distraída e morro de constrangimento de incluir pessoas nas fotos que tiro. Adio o pedido até que acabo esquecendo da intenção de ter a foto, ou muitas vezes perco a noção do tempo, não sei explicar o que acontece, mas sempre termina em eu raramente tirar foto de pessoas e, principalmente, com pessoas! Mas eu sempre fico olhando e namorando as fotos que tirei das comidas e lembro de toda a situação. Acho que com isso dá para concluir que tenho uma relação bem afetiva com a comida XD E de fato eu tenho.

Coloco aqui uma ou outra foto especial deste encontro, apenas pelo registro. Como meu namorado é tímido e não pedi permissão a ele para postar foto dele aqui, nenhuma foto o incluirá.




Fotos tiradas antes de sair para encontrá-lo, na sexta-feira (dia 23/10). Não dá para ver bem e nem ficou exatamente bonito, mas passei um batom rosado, delineador preto e lápis de olho verde-perolado. Eu não tenho certeza se gosto desse nível de produção sem preparar a pele, mas eu realmente não tenho costume e não acho legal passar base e etc para tirar o rosado do meu rosto sempre que eu quiser passar algo esverdeado nos olhos, por mais que eu sinta que fica com um contraste meio "estranho" XD


Já no domingo, saímos para o Outback. Íamos jantar no shopping, mas demoramos e quando saímos apenas o Outback estava aberto. Por uma felicíssima coincidência, fomos atendidos por uma garçonete ovo-lacto-vegetariana!

Eu nunca tinha ido ao Outback, me sentia desencorajada pelos preços e por saber que é um lugar especializado em carnes. Quero dizer, o que eu iria fazer lá?! No fim, graças à orientação da moça, consegui fazer uma ótimicíssima (ótima à última potência) refeição ali. Como dica para vegetarianos: pedimos aquelas cebolas empanadas bem típicas do Outback, Potato Soup e Salada Caesar. Também teve o pão que é cortesia, do qual eu comi um monte porque estava morrendo de fome e o achei saborosíssimo.

Gostei muito do atendimento, fiquei bem impressionada, Eu também nunca tinha comido o pão ciabatta (não lembro se esse é exatamente o tipo de pão da cortesia, mas...), foi impressionante ver o quanto ele podia ser macio. A sopa é bem densa, cremosa de batata e queijo, chega a ser quase gordurosa demais. É bom balancear com a salada. Há como pedir sopa do dia, que vem acompanhada de salada à sua escolha. Foi a que pedi, e por feliz coincidência (também) a sopa do dia era essa Potato Soup!

A salada também era ótima, mas eu devia ter pedido um molho menos pesado com ela. Ainda assim achei maravilhoso!







Na terça-feira fomos a um lugar chamado "Mercado São Jorge". Saímos a perambular pelo centro da Floripa à procura de onde comer às 14h ou mais tarde. Passamos aqui em frente, e meu namorado disse: "Você aguentou ir ao Outback por mim, eu aguento ir a esse lugar natureba com você" (explicando, ele é onívoro do tipo apaixonado por carne e nossos paladares são bem opostos nesse sentido). Acho que ele não aproveitou muito, mas eu adorei o cardápio do começo ao fim! Pedi um hambúrguer de shiitake (amo shitake, adoro shitake, nunca perco a chance de comer cogumelo), uma tapioca de queijo com molho pesto, uma torta lindíssima com morangos e esse chocolate quente.

Achei tudo maravilhoso, por mim comeria essa torta todos os dias, após cada refeição, pela minha vida inteira XD


Finalizando a fofura só porque achei esta foto muito meiga, quarta-feira, após minha aula, nos encontramos com amigos meus na cafeteria. Este é o chocolate quente que pedi. Era do meu favorito, bem cremoso e pouco açucarado. Esta coração em cima me conquistou profundamente, se minha fotografia fosse um pouco mais cuidadosa eu acharia esta taça digna de estar no WeHeartIt.



Ele foi embora logo no dia seguinte, quinta-feira (29/10), me deixando, além de muitos presentes indiretos, estes dois físicos. Os docinhos, que ele me pediu para escolher, e uma caneca maravilhosa de chá. Tenho inclusive bebido mais chá só porque quero usar a caneca! Ela veio na caixa linda de passarinhos e sempre a guardo perfeitamente após cada uso. Não tive paciência de uma foto mais cuidadosa da coleção, mas veio tampa, peneira e caneca, tudo de porcelana. O pires não era incluso na caixa, mas tenho vários pires fofos em casa.

Ele sempre me mima muito quando nos encontramos, o que sempre me deixa muito feliz ^^

A visita dele também me fez um bem danado porque me deu uma descarga de energia. Um dos motivos do meu silêncio em Outubro era a "incapacidade" de lidar apropriadamente com minha depressão, e uma visita tão querida sempre dá uma levantada incrível de ânimo!

Sei que esta postagem foi extremamente pessoal e meio fora do perfil que costumo trazer aqui, mas espero que tenham gostado! ♥

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Peri e Ceci! ♥ ♥ ♥

Olá, como estão?

Nossa, eu tinha cogitado escrever mais neste mês, mas não rolou... Peço desculpas! Andei com problemas extra-blog, espero conseguir explicar em breve. Também ando com certa dúvida sobre se o formato de escrita ainda é o melhor para mim. Tenho cogitado que vídeo pode se encaixar melhor ao meu perfil atual, mas ainda vejo problemas demais em fazer vídeo (tais como conseguir um lugar de boa iluminação, enfrentar a vergonha, lidar com interrupções e aprender a editar vídeo). Enquanto vou aquecendo essa ideia, consegui finalmente achar um assunto/desculpa para escrever aqui, e acho que logo em seguida pode vir mais um post.


Eu nunca comentei muito aqui, porém eu tenho dois cachorrinhos de estimação! Eles são uns queridos muito queridos e fizeram 8 anos no último fim de semana! Aproveitando isso como desculpa, decidi apresentá-los e falar mais de cada um ^^ Sentem-se que lá vem história o/

Como consegui os dois 


Peri e Ceci têm uma história um tanto fofa de vida desde o nascimento, ou algo assim. Aconteceu que, em 2008, finalmente eu e minha mãe olhamos uma para a outra e pensamos: é hora de ter um bicho. Queríamos adotar, mas infelizmente nos sentimos MUITO inseguras de pegarmos um filhote de rua e ele crescer além dos limites. Por morarmos em apartamento, tivemos medo que um animal que crescesse demais não conseguisse se adaptar e nós tivéssemos que arranjar outro tutor para ele. Sempre conseguiríamos achar alguma amizade que gostasse de animais e morasse em casa, mas a ideia de nos separarmos do bichinho após um vínculo doía muito.

Assim, decidimos comprar um cãozinho em um lugar que confiássemos. Devo dizer que atualmente, em que sou mais informada, me arrependo de ter comprado meu bichinho e gostaria de ter adotado. Acabei descobrindo que um cão médio pode se adaptar à vida em apartamento (embora eu ainda creia que não seja o ideal) e que tem como ver no veterinário o quanto o bichinho vai crescer. Eu também poderia ter pego um cachorro adulto. Ficam aí de opções e informações para outras pessoas.

Compramos, primeiramente, a Ceci. Achamos Peri e Ceci igualmente simpáticos, na verdade até mais ele do que ela, no entanto preferimos uma fêmea pela questão de garantir que não marcaria território. Sabíamos sobre a castração de macho, mas também sabíamos que tinha que ser feita antes de certa idade para realmente garantir que ele nunca começaria a marcar.


Eu chamei a Ceci de Cecília Meireles, com apelido de "Ciça".

Aconteceu que a filhotinha não queria comer nem brincar, e não fazia nada o dia inteiro. Assustadas com o comportamento da cachorra, voltamos ao lugar para verificarmos se ela não estava doente. Aconteceu que só se sentia muito solitária. Então eu e minha mãe nos olhamos e pensamos "bom... Então que sejam dois, né". Por pura coincidência, o único da "leva" anterior de cachorros que ainda não tinha sido vendido era o Peri (os filhotes ficavam todos juntos brincando no mesmo espaço). Unindo o útil (era um cão que ela conhecia) ao agradável (era um que gostamos muito), levamos o Peri.

Minha queda por trocadilhos e por literatura foi muito forte e em pouquíssimos dias fiz todo um arranjo: mudei o apelido da Cecília para Ceci (era Ciça, como já falei) e chamei Peri de Peri, porque, óbvio, tinha que combinar. Três meses depois inventei um nome completamente estapafúrdio pro cachorro, para justificar o "apelido" de Peri. Me passou pela cabeça, em meus plenos 15 anos, que era injusto Cecília Meireles ter nome, sobrenome e apelido e Peri ser apenas Peri.


Inventei o nome de Péricles Arnaldo, porque sim.

É difícil verificar essa história porque foi o criador que contou, mas: parece que a Ceci foi a única filhote preta da ninhada (ela tem duas irmãs que parecem com a mãe, brancas com manchas, enquanto o pai é completamente preto) e isso levou à mãe dela não reconhecer o filhote como dela. Parece que isso acontece com cachorros, às vezes, e ao ver o filhote como intruso a mãe da Ceci se recusava a dar de mamar para ela.

Com medo da cachorrinha morrer de fome e achando que era muito cedo para dar fórmula, o criador procurou a fêmea que tivesse em maiores condições de "adotar" a Ceci e alimentá-la. Por ironia, a única que tinha tido ninhada há pouco tempo era a mãe do Peri, da raça maltês. Vale lembrar que maltês é sempre branco, ou no máximo manchado de bege bem discretamente. A mãe do Peri não recusou a Ceci, de forma que eles se conheceram ainda realmente bem filhotes.


Eu sempre acho essa história muito fofa, apesar de longa e talvez inventada, e nunca perco a chance de contá-la. Minha noção dos dois como irmãos surge dessa história, e acho fascinante pensar em como, enquanto uma cadela teve dificuldade de entender que um filhote tão diferente fazia parte da ninhada, a outra, que era ainda mais distante daquele filhote, o acolheu sem problemas.

Agora falarei um pouco de cada um individualmente :3


 Ceci 

 

Ela é dois dias mais velha que o Peri, nascida em 16 de Outubro de 2007. Ela é meio tímida, desconfiada e muito assustada. Levou meses até que ela aceitasse ser tirada do chão, ela tinha muito medo de ficar com a barriga exposta e sempre esperneava muito quando eu tentava pegá-la no colo, ao ponto de quase cair. Ela também não dormia de barriga para cima de maneira alguma. Na realidade, ela tinha dificuldades em dormir perto de humanos, bastava qualquer movimento para acordá-la. Se eu conseguia pegá-la e trazer para junto do meu corpo, assim que ela encostava a barriga no meu peito ela ficava tranquila novamente. Mas ainda assim queria descer logo.


Desde bem filhote ela tem paixão por meias sujas e rouba todas as que pode. E ela traz uma ou duas meias para mostrar a qualquer visita bem-vinda a ela, numa espécie de festa. Mas não é para você tentar pegar a meia, é só para você ver. Na falta de meias, ela pega sapatos meus. Apesar do focinho curto, Ceci foi aprimorando a técnica de levar meias na boca e já conseguiu levar até três meias aos mesmo tempo! Isso parece bobo, mas ela sendo minúscula como é, é um recorde. Para mim isso também tem maior valor porque realmente pude acompanhar toda a luta dela para coordenar o focinho curto e vontade de roubar a maior quantidade possível de meias. PS: ela nunca estragou meia alguma, só quer ter uma coleção.


Ceci é muito enérgica e gulosa, e consegue sacudir o rabo em uma velocidade impressionante. Ela sempre gostou muito de me desafiar e eu levei muitos meses para que ela entendesse que tinha que me obedecer. Tive que estudar psicologia canina, bem por cima, para compreender a maneira de agir da Ceci em alguns aspectos. A qualquer brecha que ela ver para dominar (dentro da lógica de cachorro), ela vai tentar dominar. Ela também é muito fiel e carinhosa, de sua maneira específica. Normalmente, para terceiros, ela fica meio apagada. No geral porque se esconde e o Peri é mais "chamativo".


Ah, é! Ela também sabe ser extremamente charmosa e faz muitas palhaçadas quando quer chamar a atenção. Ela tem umas manias de comportamento também, que há anos tento gravar mas que nunca consegui. Ceci também tem uma alergia de pele que é genética, tadinha, então está quase sempre se coçando muito >: Parece que é uma condição incurável, embora possa ser controlada diante de controle alimentar e ausência de cosméticos fortes (por exemplo, nada de perfume nela). Por fim, é necessário dizer: Ceci espirra muito e tem um latido bem forte, para o tamanho que tem.



 Peri 

 

Ele é o caçula, mas parece ser o mais velho. Nascido em 18 de Outubro de 2007, Peri mais dorme do que anda. Na realidade ele acaba sendo muito mais próximo de um estereótipo de cachorro: dorme muito, é preguiçoso, mas quando aparece visita ele faz festa até não poder mais. Ele gosta muito de chamar a atenção, é ciumento, e por ser extrovertido ele facilmente parece mais simpático do que a Ceci.


O Peri é, como já falei, mais extrovertido e "dado". A qualquer pessoa nova que chegar na casa ele vai querer carinho e vai dar "oi", e vai pular e lamber. Ele adora lamber. Em comparação à Ceci, ele é mais devagar para acompanhar certas coisas, é mais fácil enganá-lo (até mesmo sem querer). Ele também é muito tranquilo e tem uma boa-fé enorme. Já mostrei algo que eu tinha em mãos a ele, para que ele cheirasse e percebesse que não era comestível; no lugar disso, ele ficou cheirando e lambendo o objeto, como se tentasse se convencer que era comestível, já que eu estava oferecendo. É difícil explicar, mas é nítido que ele vai achar que algo é comestível só de eu oferecer a ele.


Ele é bem submisso, de forma que na hierarquia da matilha-fake dá para notar que eu sou a líder-mor, Ceci e a sub-líder e Peri obedece a nós duas.

Como exemplos da preguiça dele, posso listar que ele costuma beber água e comer sentado, porém não é raro encontrá-lo deitado durante essas funções. Ele também tem uma perninha torta, então se cansa meio facilmente nos passeios e começa a mancar se exagera na animação. Devido também a perninha torta, Peri tem muita dificuldade para subir ou descer sozinho das coisas. Às vezes ele late para o nada e eu fico falando que ele parece um velho resmungão.


Como se pode imaginar, Peri nunca teve problema algum em expor a barriga. Desde filhote a posição favorita dele para dormir é com a dita-cuja exposta, e o primeiro lugar que ele sempre expõe pra pedir carinho também é a barriga.

Peri costuma rosnar para a Ceci quando está sonolento e querendo ficar na dele e ela desrespeita uma distância de 30cm dele. Ele também já rosnou para mim quando cheguei perto dele, mas foi só até ele notar que eu não era a Ceci.



 Vídeos 

Peguei esses vídeos dos dois porque foi a forma que encontrei de mostrar mais na prática a diferença entre eles. Particularmente eu acho que é bem impactante ver a animação da Ceci e depois o sono do Peri. No vídeo final, dá para perceber como eles são em momentos "yay".






Infelizmente não tenho fotos deles filhotes porque só fui ter câmera lá por 2011.

Peri e Ceci foram essenciais para que eu lidasse melhor com a perda da minha mãe. Sempre agradecerei a eles por isso.

Eu realmente adoro muito esses bebês lindos :3

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Minhas músicas favoritas do atual estado de humor

"Nossa! Que título extenso e explicativo demais!", acho que vocês pensarão.
"Pois é", direi eu. E continuo:

Pensei em chamar de "Músicas que me emocionam", e fazer um apanhado de músicas que mexem comigo. O resultado? Um rascunho de duas semanas ou mais que já perdeu toda a emoção para mim. Então, hoje, aproveitando novas incursões no cenário musical, decidi fazer uma versão semanal. MAS terá músicas que acho especialmente emocionantes, mesmo algumas que eu já passei da maior fase de s2 s2 doki-doki.

Também andei explorando, finalmente, a discografia da Pink. Por enquanto coloco só as que realmente saltaram aos meus ouvidos (no geral, músicas que eu já tinha ouvido em algum momento e ainda não sabia que era dela).


Chuwon Chuwon


Achei a letra muito bonita, gostei muito do cuidado de colocar a tradução para inglês de toda a letra ^^ Foi graças a isso que consegui entender! Também achei legal a atitude de colocar youtubers famosas do Japão (exceto por uma, que é ocidental) colaborando. Pelo que entendi do que pesquisei, maior parte das colaboradoras é japonesa, mesmo. Achei também o clipe muito lindo, e a coreografia do refrão empolgante XD Já aprendi a dançar, e danço na maior alegria. Estou na expectativa de aprender a letra para cantar tudo junto! Ah, e também cada youtuber postou um vídeo próprio, com a divulgação pessoal do clipe ^^


Roundtable Rival


Música instrumental com feeling steampunk tanto no som quanto no visual do clipe. Achei o enredo do clipe legalzinho, apesar de bem simples. Adorei o visual das personagens. E, por favor, violino com todos aqueles instrumentos e tal... Não sei muito mais o que descrever XD


I'll make a man out of you
cover Jackie Chan



Bom, vi isso no Facebook hoje. E não tem como não achar incrível ouvir o Jackie chan cantando esta música épica de Mulan \o/ Gostei muito de ouvir a música em um idioma possível de ter sido cantado na situação "original" ^^ Digo, imaginando que Mulan se passa na China e o Jackie cantou em um dos idiomas falados lá, acho que dá certo tom de "verossimilhança" que acho muito simpático :3


Don't Let Me Get Me


Eu lembro de ouvir essa música quando bem nova, era trilha sonora de uma das edições de Malhação. NUNCA imaginei que era da Pink! Gosto muito do ritmo e, bom, a letra é bem auto-depreciativa, mas... Em certos momentos deprê é bom ouvir uma música que traduza certos sentimentos. Me identifico muito com a música porque realmente, em especial nos últimos meses, eu tenho sentido bem claramente o quanto eu mesma consigo me sabotar. E, no passado, já tive momentos em que desejei ser outra pessoa (acho que maior parte das pessoas já teve...). Como nesta música o clipe é indiferente para mim, optei por colocar só uma versão ao vivo, já que no geral sempre gosto mais de versões ao vivo das minhas músicas favoritas <3


Just Like a Pill


Não cheguei a pesquisar a letra, mas gostei muito do ritmo. Me acalma e sensibiliza, fico mais aberta a uma introspecção. Nada muito uau para acrescentar... Versão ao vivo muito incrível aqui *0*


Raise Your Glass



Foi por meio desta música e clipe que conheci a Pink e virei fã. Então não tinha como faltar. Adoro a letra, o ritmo é muito empolgante, e finalmente, o vídeo tem um tom hilariante que se tornou meio constante nos clipes da Pink. Acabei virando fã de todos os aspectos do clipe. A frase do refrão, de "levante sua taça se você é errado de todas as maneiras certas" é basicamente muito genial para mim XD Sei lá, tem tantos jeito de você só não se encaixar no padrão e não ser nocivo a ninguém (nem a si mesmo)... Esta música apareceu em um momento em que me senti muito feliz em notar que muitos aspectos meus não se encaixavam no padrão, mas que isso não era necessariamente um defeito.


Try


De clipe extremamente inspirador, ao menos para mim, esta música realmente me emociona. Me deixa, também, mais introspectiva, e não sei dizer exatamente se me deixa alegre. Acho que me evidencia que ainda tenho muito a caminhar, mas que o mais importante é que eu me ame. Devo ser bem sincera, tem muitos momentos, quando me auto-saboto demais, que começo a me odiar muito; esta música me emociona nessas horas, por me lembrar que às vezes estou tentando atingir um padrão muito alto e que preciso ter mais respeito e amor por mim mesma. Não sei dizer se a emoção é boa ou ruim, mas é intensa e por isso esta música está aqui.


Price Tag
Jessie J feat. B.o.B


Optei pela versão ao vivo porque, apesar do clipe ter coisas meio fora do comum e um visual que acho muito fofo, no geral acho levemente tedioso. E ao vivo dá para sentir melhor o sentimento dos cantores, coisa que adoro. Sem contar que a Jessie J sempre dá umas inventadas no vocal quando está ao vivo. Gosto muito do tom mais meigo, sincero e sincelo que essa música tem, em especial quando se compara com as outras produções da Jessie J. E esta é uma das poucas versões ao vivo que encontrei com o B.o.B. participando. Enfim, eu gosto muito do tom de "calma, desacelere e só aproveite as coisas com serenidade" que a música passa. O mundo parece muito mais simples quando a ouço.


Credens Justitiam


MINHA MÚSICA FAVORITA DE MADOKA. Vale dizer que as duas músicas de abertura (do filme e do anime) me emocionam muito, me identifico muito com as letras. Credens Justitiam não tem uma mensagem, mas o ritmo e o jeito que elas cantam me deixam muito fascinada. Eu chego a deixar de pensar um pouco durante a música. Ela começa e eu começo a apenas cantar junto e deixo para pensar no que quer que eu estava pensando depois. Vale dizer que a Mami é uma das personagens que eu mais gostei, em Madoka, e essa é a música-tema dela.


Am I Wrong


Conheci esta banda e música por meio do programa Superstar e abanda Dois Africanos, que fez um cover (que era quase uma releitura) desta música. Admito que prefiro o cover, mas preferi deixar o link aqui para a postagem do vídeo (ele não aparece com imagem boa no youtube) e colocar aqui no post mesmo o original. Adoro o tom sonhador da letra; acredito não precisar falar que me identifico muito. As perguntas que ele faz parecem me reafirmar que não, não é errado querer seguir um caminho diferente do da maioria e do que é considerado certo. Acaba me dando forças para lutar mais. No momento já enjoei um tiquinho desta música, mas até semana retrasada eu ainda a ouvia muito , e ela ainda me emociona. Na primeiríssima vez que a ouvi (no cover dos Dois Africanos), quase chorei, e isso se repetiu pelas próximas 10 reproduções da música.


Yume no Hajima Ring Ring


Virou minha música favorita da Kyary. Igualmente, até semana passada ou coisa assim eu ainda ouvia essa música obsessivamente. É meio complicado quando uma arte causa uma identificação tão imediata e incontrolável - eu diria que essa música é uma que me atinge no âmago, bem como o clipe. Esse tema do adeus é algo que me atinge muito, especialmente porque nunca me sinto preparada para dizer adeus às pessoas que amo. Me afastar de qualquer amizade é algo que envolve sempre extrema tristeza e esforço, mesmo quando é perceptível que a época dessa pessoa na minha vida acabou. Essa dificuldade de deixar os outros irem embora foi o que me atingiu tanto neste clipe. Eu olhei a tradução da letra e passei a ficar um pouco menos triste com a música... No fim, de certa forma, este clipe está começando a me ajudar a lidar com essas situações de adeus.


Serpente


Tinha que ter algo nacional nesta lista! Tenho ouvido muito a Pitty nos últimos dias, estou cada vez mais encantada com essa musicista. Essa música sempre me traz muito otimismo e força, desde o comecinho. Este tema do recomeço, "da serpente que engole a cauda para recomeçar", me ajuda a lembrar que nunca é tarde demais para mudar e para fazer as coisas darem certo. O clipe do eterno ciclo também me impressiona muito. No geral gosto muito dos clipes da Pitty.


Sutilmente


Mais um nacional. É meigo, simples e singelo. Inicialmente foi o clipe que me conquistou, e depois a letra. O tom artesanal do vídeo, sem grandes edições ou efeitos especiais, me impressiona demais. O Skank consegue passar muito bem aquele charme singelo... Acho que sobre esta música não há muito o que dizer, exceto que também me emociona. Não sei bem dizer a razão. é uma música que invariavelmente me lembra minha mãe. Talvez porque volta e meia me pergunto como mantê-la "viva dentro de mim".


Projeto Agridoce
Pitty e Martin


Este é um projeto paralelo da Pitty com o guitarrista da banda dela. Eu até tentaria escolher apenas uma música deste projeto para colocar aqui, mas simplesmente foi impossível. Todas me agradam demais. Demais mesmo, também pelo teor das músicas. O ritmo é folk: acústico, suave e leve, de um jeito que me agrada muito; as letras são curtas, pouco elaboradas, mas com força. São meio tristes, mas a acho muito profundas. Fico com a impressão de que é impossível não se identificar pelo menos um pouco com algumas das letras - elas me parecem tocar em temas que todo ser humano acaba pensando. Escolhi aqui para vídeo um programa em que eles tocam várias das músicas do projeto. Eu ouço constantemente esta coletânea desde o fim do ano passado (pelo menos uma vez a cada 15 dias).


Uaaau, lista completa X__x ou não. Na real, fazendo esta lista notei que tem muito mais da Pink e da Pitty que eu gostaria de mostrar. Talvez, quando eu tiver paciência de novo, eu faça aí umas listas temáticas de artistas. Eu adoraria fazer isso, só preciso ter mais certeza de quais músicas eu gostaria de escolher XD

Tentei ser o mais sincera possível sobre essas músicas, principalmente porque esta lista É muito emocional. Deve ter faltado alguma música aí nesta lista, mas tentei lembrar das principais do meu humor atual. Tem algumas outras que são muito minhas favoritas, mas que não se enquadram a este meu momento (ou, caso se enquadrem, não ando ouvindo no momento).

Sei que fui um tanto redundante em algumas descrições, mas acreditem que as palavras vieram do coração, eu só não soube usar muitos termos diferentes ^^"

Abraços de arco-íris a todes! Espero que tenham gostado do post ^^

domingo, 19 de julho de 2015

Minha mudança de casa

Olá!

Pois é, eu me mudei. Decidi, dessa vez, compartilhar um pouco do espaço que agora vou ocupar.

Eu saí de um apartamento, que eu dividia com outras duas mulheres, para morar em uma casa bem grande com (por enquanto) cinco homens. Só faz uma semana desde que me mudei, mas já tem sido bem diferente estar em uma república oficial. Outro detalhe é que é uma república ainda no começo, o que também deixa as coisas um pouco diferentes.

Estou de férias, então tenho tido tempo de me adaptar, bem como meus cães. Acho que nunca comentei aqui, mas eu tenho dois cachorrinhos pequenos, sobre os quais ainda pretendo fazer uma postagem a respeito.

Queria especialmente compartilhar a evolução das minhas arrumações. Eu vim para cá no sábado  passado, sem móveis, apenas 2 malas com o máximo que pude colocar nelas. Fiquei com um colchão no chão, meus cachorros e foi isso aí. Eles, em especial, estranharam muito e ficaram mais carentes, creio que por não identificarem o novo lugar como uma casa.

Eu só pude realmente me mudar na terça, ou seja, 5 ou 6 dias atrás. Ao trazer os móveis já ficou bem melhor, especialmente para o Peri e a Ceci, que passaram a pensar nesta casa como um lar e "lugar onde moramos".

É a primeira vez que Peri e Ceci moram em um lugar com jardim e quintal. E para mim também é novidade, eu tinha por volta de 8 anos na última vez em que morei em casa. Acaba sendo uma nova experiência.




Primeiramente as fotos do espaço vazio :3 Ou quase isso. Essas fotos são do sábado, quando cheguei ainda sem muita coisa.


Ceci em participação especial



Essas fotos acima já são da terça, dia da mudança, antes de ajeitar as coisas e montar minha cama e meu guarda-roupa. Muitas coisas estavam fora do meu quarto, como maior parte das caixas, meu colchão, e minha cama desmontada. Vale dizer que a TV no móvel e as garrafas não são meus e o dono da TV já a levou embora XD Estamos sem TV (não que eu sinta falta, mas enfim). Abaixo temos fotos ainda de terça, com as coisas mais ajeitadas :3




Peri em participação espacial.


Como dá para ver, botei a caminha do Peri e da Ceci no cantinho entre o guarda-roupa e a cama. Eles não têm realmente uma caminha de cachorro, e sim cobertores antigos meus. Aconteceu de um momento ou outro eles acabarem "adotando" uma roupa de cama minha e depois ficar para eles. Já o ursinho eu ganhei de aniversário de um amigo meu e deixei para eles, esperando que talvez se interessassem em dormir perto do ursinho. Não funcionou, mas ficou para eles também XD

Agora colocarei fotos de hoje!




Aqui no guarda-roupa eu guardo: roupa de cama e de banho nas prateleiras de cima, pijamas (à direita) e blusinhas de manga curta (à esquerda) na segunda prateleira, calças, shorts e saias (à direita) e blusas de manga comprida e roupas de lã (à esquerda) na terceira prateleira e, por fim, no "chão" do guarda-roupa ficam alguns cosméticos.



No cabide do meio ficam blouses lolita e boleros; ali onde tem muitas coisas dobradas são roupas ou para consertar ou personalizar, além de roupas específicas para limpeza da casa. No geral roupas mais velhas que já estão manchadas com água-sanitária (uso muita água sanitária em limpezas). Ali onde tem uma coisa amarelinha é o montinho de cachecois e lenços/panos variados. No fundo do armário tem uns presentes pro meu namorado.


No cabide, vestidos (lolita ou não), saias lolita, casaco leve e bolero. Embaixo tem calças e saias que deu para pendurar, maior parte calças jeans e saias lolita que não tive cabide para pendurar. PReciso comprar mais cabides. No chão do guarda-roupa, dois cobertores para doação e um acúmulo de jornais que pretendo usar a longo prazo.


Na gaveta de cima tem meias e meias-calças, na de baixo calcinhas e sutiãs. Na aparente gavetona, bolsas.





Essas são as fotos de hoje, com o quarto bagunçado mesmo. Aproveitei para fotografar a parte de dentro do meu guarda-roupa ^^ Do lado de fora do quarto já não há mais caixa alguma. Infelizmente tem coisas que para tirar de caixas eu terei de conseguir móveis novos, ou seja, por um tempo terei duas caixas sobrepostas como mesinha de cabeceira XD

Ainda não consegui arranjar onde guardar meus livros, meus sapatos (tenho que selecioná-los e consertar/doar/vender alguns), meus cosméticos e cobertores grandes.

As malas também estão vazias. Aliás, há duas vazias (uma guardada dentro da outra) e a terceira ainda tem algumas roupas que ainda não consegui guardar. Não por falta de espaço, mais por ter que lavar antes. Como deve dar para ver, meu cesto de roupa suja também está saturado...

Realmente ainda não está arrumado e nem 100% como quero, mas estou bem orgulhosa com o que fiz até agora. Dediquei muito tempo fora do quarto, arrumando meu armário pessoal de comida, lavando e organizando louças. Aqui foto de uma coisa ou outra fora do quarto. No caso, louças e meu armário pessoal, onde guardo minha comida e canecas.


Só arrumei o andar de cima
Sei que para algumas pessoas talvez seja desagradável ver esse nível de bagunça no blog, porém foi proposital. Realmente é assim que meu quarto estava e eu não quis arrumá-lo apenas para fotografar. Quando ele aparecer arrumadinho aqui, é porque já estava arrumado XD

Continuando o parágrafo anterior, eu queria aproveitar este momento para falar um pouquinho de uma decisão pessoal que tomei. Para isso, primeiro falarei um pouco sobre uns pensamentos meus ^^" Seguinte:

Na internet, acaba sendo muito fácil "falsificar" a sua vida e mostrar só a parte boa ou arrumada. Eu acredito que isso é feito muitas vezes e por muita gente, e nem por maldade. Não creio que muita gente pense "vou parecer perfeita na internet" e por isso só faz recortes das coisas boas. No entanto, maior parte das pessoas quer ser caprichosa nas próprias fotos e quer mostrar as coisas das quais estão orgulhosas. Isso acaba culminando no mesmo resultado de "falsificação da vida", por mais que não seja a intenção.

Então a conclusão acho que vocês já conseguem tirar: eu decidi, pessoalmente, realmente tirar fotos espontâneas do meu cotidiano, com o máximo de recorte realista que eu puder. Acredito que isso pode, por ventura, ajudar a combater inseguranças de alguém que leia o blog, e também passar uma imagem minha mais condizente com o que sou, com a minha proposta atual de blog e de vida, bem como mais um monte de coisas.

Agora umas fotos finais dos meus filhos e minhas:




Sim, eu vesti um outfit fofinho! \o/



Abraços fofos e felizes! ♥