sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia Internacional da Mulher

Oi oi!

Bom... Notei que no primeiro ano de blog por algum motivo não falei do dia internacional da mulher. Não sei o quanto @s leitor@s do meu blog sabem sobre a origem do dia. De qualquer forma, eu sempre quis falar a respeito e... Cá estou eu.



Sempre e sempre acho importante falar, creio, porque sinto que muito da intenção do dia se perdeu. Nada contra a cultura que se criou em volta, porque... Ah, depois explico. Vamos por partes. Aviso que quanto à origem do dia encontrei umas certas diferenças. O Wikipédia dá informações diferentes das outras fontes. Sabendo que em geral na internet os textos se tornam virais (todos os lugares que encontrei de concordavam com a outra fonte que tive eram descaradamente um "copia e cola" do artigo), achei bom citar as duas fontes diferentes. Então ficou meio extenso...


A origem do dia


Encontrei certas discrepâncias quanto a motivação para o surgimento da data. Parece que em 8 de março de 1857, há 156 anos, operárias de uma indústria têxtil foram à fábrica protestar quanto a condições de trabalho por meio de uma greve. Elas reivindicavam uma jornada diária de trabalho menor (era 16 horas, elas pediam 10 horas), igualdade de salários (ganhavam um terço do salário masculino) e tratamento digno no ambiente de trabalho. Foram trancadas dentro da fábrica e queimadas vivas, como resposta ao protesto. Em homenagem a elas, temos o Dia Internacional da Mulher, que surgiu em 1910, sendo reconhecido pela ONU em 1957.

No entanto, segundo o Wikipédia, que pareceu ter um artigo bem completo a respeito (ao mesmo tempo que é o único que não coloca a origem do dia neste episódio O_o), a ideia de um Dia Internacional da Mulher surgiu aos poucos, começando no Socialismo. O primeiro Dia Internacional da Mulher teria sido encorajado pelo Partido Socialista da América, no dia 28 de fevereiro de 1909, nos EUA, em homenagem ao já citado evento da fábrica têxtil de Nova Iorque.


Segundo as duas fontes, apenas no ano seguinte, durante uma conferência da Internacional Socialista, na Dinamarca, foi-se colocada em grupo a ideia de um Dia Internacional da Mulher. Uma das fontes diz que já nesta conferência se decidiu o dia 8 de março como o DIM, enquanto o Wikipédia diz que não foi definida uma data, apenas que haveria um dia. Em 1911, os dia teria sido comemorado em alguns países leste-europeus no dia 19 de março e poucos dias depois (25 de março) teria tido um incêndio acidental em uma fábrica têxtil nova-iorquina devido a falta de medidas se segurança no lugar. O incêndio matou muitos funcionários, em maioria costureiras (e, portanto, mulheres).

Aqui eu vou copiar e colar do Wikipédia, porque está tão conciso que vou me sentir tonta se só reescrever mudando a ordem das sentenças e tal:
Em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário juliano), a greve das operárias da indústria têxtil contra a fome, contra o czar Nicolau II e contra a participação do país na Primeira Guerra Mundial precipitou os acontecimentos que resultaram na Revolução de Fevereiro [Nota minha: a Revolução de Fevereiro foi a primeira fase da Revolução Russa, evento que tirou o czar do poder e instituiu o Socialismo]. Leon Trotsky assim registrou o evento: “Em 23 de fevereiro (8 de março no calendário gregoriano [Nota minha: o calendário gregoriano é o que usamos no mundo todo, praticamente] estavam planejadas ações revolucionárias. Pela manhã, a despeito das diretivas, as operárias têxteis deixaram o trabalho de várias fábricas e enviaram delegadas para solicitarem sustentação da greve. Todas saíram às ruas e a greve foi de massas. Mas não imaginávamos que este ‘dia das mulheres’ viria a inaugurar a revolução”.
Aos poucos os países (em especial os socialistas da época) passaram a usar o Dia Internacional da Mulher como propaganda partidária, e assim aos poucos ele foi perdendo o tom de homenagem e foi-se generalizando o de comemoração, com direito a presentes às mulheres e parabenizações. Esse costume (visão minha, não achei em lugar algum isso) foi perfeitamente adotado pelo capitalismo, internacionalizando de vez esse costume de se comemorar o Dia Internacional das Mulheres, subvertendo o significado do dia e usando-o para encorajar o consumismo.


Minha visão da coisa (?)


Falando resumidamente, o Dia Internacional da Mulher parece ter mudado de data ao longo dos anos, e ser uma ideia surgida no começo do século XX (1900 e alguma coisa). De qualquer forma, a ideia surgiu apenas depois de algumas manifestações por direitos femininos que terminaram em tragédia, com morte das manifestantes, em homenagem a elas.

A intenção do dia era, e ainda é, lembrar da repressão que já foi sofrida, das lutas que já foram feitas, das "desumanidades" que já ocorreram em resposta a essas lutas e aos direitos já conquistados. Também é um  dia que tinha como proposta encorajar mais lutas, até que finalmente se atingisse a igualldade de direitos e social.

Pessoalmente, também acho que se pode agregar ao dia os presentes, sob certo aspecto. É mais que óbvio que o respeito deve ser todos os dias, e que os mimos sem sentimento, sem o respeito, a dedicação, compreensão, etc, de nada significam. Essas promoções de coisas, encorajamento a compras de coisas estereotipicamente femininas, para mim, apenas ajudam a perder-se o significado do dia.


No entanto, o ato de presentear as mulheres presentes na sua vida, de dá-las parabéns pelo "dia delas", também pode ser demonstração de ternura. Ele pode ser visto como um "obrigad@ por estar na minha vida" e, como bem disse um contato meu no Facebook, não há machismo nisso. Não vejo subversão no Dia Internacional da Mulher em dar presentes, pensando sob este aspecto.

Há quem vê inutilidade nesses dias especiais, como Dia da Mulher, do Índio, do Negro, e minorias sociais em geral. Eu vejo que, infelizmente a sociedade que temos é especialista em adotar causas e subvertê-las, tirando a profundidade e deixando apenas comemorações. Fez isso com esses "dias especiais", faz isso com a sustentabilidade agora, fez isso com infinitas coisas. Sabe a nós lembrar o significado dessas datas.

Em especial aos "dias das minorias sociais", eu os acho importantes para que se lembre o quanto se evoluiu e o quanto ainda se pode conquistar. Concordo plenamente com o Morgan Freeman sobre o mês da consciência negra só incitar ao preconceito, mas também acho que ainda precisamos disso. Acho que ainda estamos longe de "podermos" não comemorar esses dias, porque na nossa cultura ainda há o preconceito enraizado. E enquanto ele durar, deve-se lutar por isso.

Só terminando (que postagem longa, Alice!), eu sonho com o dia em que nenhuma dessas datas será mais necessária.


Puxa, isso ficou longo. Desde o ano passado eu queria escrever sobre isso, e não queria perder a chance neste ano também. Tentei dividir as coisas, e peço desculpas por ter ficado tão longo. Agradeço a paciência por lerem XDDDD

Coloquei bem a minha opinião e, aproveitando o tema, gostaria de pedir a de vocês sobre o assunto! O que acham do Dia Internacional da Mulher? É contra ou a favor dos presentes? Concorda com o que escrevi ou acha que falei besteira em algum momento (a gente sempre fala besteira em algum momento XD)?

Beijos de corações a tod@s que leram esse texto!

4 comentários:

  1. O dia da mulher desse ano em específico foi muito doloroso para mim porque há uns dias atrás morreu uma menina do curso de informática do meu departamento, assassinada pelo ex-namorado com tiros.
    Eu amei ganhar flores do meu namorado (virtuais), amei a dedicatória da minha sogra numa música, amei as rosas que ganhei do meu pai...
    Mas não consegui "comemorar" a data direito, não fiquei "feliz por ser mulher". Uma pessoa morreu, uma pessoa cuja vida poderia ter se encontrado com a minha tão facilmente, afinal, fizemos as mesmas matérias, estudamos no mesmo bloco. E se fosse a minha irmã? E se fosse a minha prima? Uma amiga? Uma colega de curso?
    E poderia ser, qualquer uma de nós.
    Estou muito abalada com isso. É um sentimento de coração pesado, realmente chocante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, Chadias... Deve ter sido horrível isso. Obviamente é horrível, mas tendo contato sempre é pior. Eu não sei o que dizer, sinceramente, porque até certo ponto consigo entender o seu sentimento.

      São tempos e tempos de luta, e ainda se morrem mulheres por causa da machismo. Eu não sei como está sendo para você. Para mim dá a sensação de inutilidade da luta, de futilidade de se "comemorar o que se conquistou". Ao mesmo tempo, dá a vontade de lutar cada vez mais contra o machismo.

      Eu sinto muitíssimo pelo que aconteceu. Não falo isso para você porque você está sofrendo. É apenas pesar, também. É duro lembrar que ainda há muito para lutar.

      Excluir
  2. Ah, e sobre o pronunciamento do Morgan Freeman, eu deixo este vídeo:
    http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story.html
    Chama-se "O perigo de uma história única", é um vídeo de uma moça nigeriana muito inspirador e thought-provoking. Talvez ajude você a rever alguns conceitos! ^^
    Também recomendo pesquisa sobre "intersectional feminist" <3

    ResponderExcluir
  3. Eis a questão: inutilidade de uma data como tantas outras ou uma luta que com certeza gerará frutos.
    Eu simplesmente odeio receber aquela frase "Feliz dia da mulher", "Parabéns pelo seu dia". Isso me irrita e me dá ansia de vomito. Não vejo a minima graça em ser mulher (com algumas excessão como usar lolita e dolly-kei *-*). Na minha opinião o Dia Internacional da Mulher tem tanta utilidade e significancia quanto o Natal, o Ano Novo e a Páscoa. Tradução: nenhuma. Só mais um dia para dizer frases clichês e babaquices e depois continuar com sua vida normal. Não discordo que todas essas datas tinham um valor, um significado. Mas todos eles se perderam com o tempo. Mas ainda sim algums conseguem ver esperança nessa luta que não leva ninguém a nada e significado especial nessas datas. E fazê-las especiais.
    Não pense que sou muito pessimista. É só minha opinião. Antes eu gostava dessas datas, mas perdi o total interesse que tinha nelas.
    Mas gostei da sua opinião.

    ResponderExcluir