segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Unilever e um desabafo

Oooi, lolis!

Com essa coisa de repassar as postagens, como falei aqui, estou tendo um certo "retorno às origens", que está sendo muito benéfico e saudável. E, como não podia deixar de ser, lá vem a famosa historinha!

Lá estava eu, hoje, pesquisando um hidratante para pele oleosa que seja vegano. Aconteceu que, comentando isso com uma amiga, ela me perguntou se a marca TRESemmé é cruelty-free. Fui pesquisar a respeito e o resultado foi levemente difícil de encontrar. Sabem o motivo?


A Unilever, dona de muuuuitas marcas, como Seda e essa TRESemmé (sobre a qual eu estava procurando), vem fazendo uma divulgação enganosa de seus produtos. Parece que eles têm divulgado que são cruelty-free, sendo que constam na lista da PETA de empresas que testam em animais. Mais do que isso, pelo que li em blogs veganos, eles têm enganado até os próprios funcionários.

Acontece, também, com a Unilever o mesmo que houve com a Avon: a unidade brasileira não realiza testes, mas, não se sabe em quantas unidade, no resto do mundo realiza.

O pior, para mim, é que basta uma pesquisa levemente mais aprofundada para notar se uma empresa é só fachada ou não. Acabei me encontrando em um certo estado de irritação por causa de gente que não pesquisa direito.

Acontece que tem pessoas que não pensam se o produto é testado ou não em animais. Mas, se alguém comenta sobre isso na cara dela, ela sente um certo peso na consciência. Sinto que, nessa mania de ser ecológico e do politicamente correto, e "viva aos animais", muita gente está levando sua hipocrisia para essa área.

Se você se importa com os animais e se incomoda de usar cosméticos, ou o que quer que seja, que seja cruelty-free, você pensa antes de comprar. Não estou falando que sou um exemplo, mas já deixei de comprar produtos milagrosos para o cabelo porque testavam em animais. Já deixei de comprar algo bem barato porque sabia que a empresa testava em animais. Perco pelo menos um dia do meu mês (o que considero bem pouco) pesquisando empresas confiáveis e tal.

Acabo sentindo que tem muita gente que quer aliviar a própria consciência. E são essas pessoas que empresas como a Unilever pega. Aquelas pessoas que (com TODO o respeito!) só precisam ouvir "não testa" para aliviar a consciência e comprar.

Particularmente, quando virei semi-vegetariana, eu não imaginava que fosse me enredar tanto assim na ética dos vegetarianos. Achei, sinceramente, que só pararia ali: carne, só de peixe. Sobre o resto, nenhum pensamento a respeito.

Mas a gente acaba notando as próprias incoerências, e é aí que reside a facilidade de um vegetariano por causa dos animais em virar vegano. Ele (no caso, eu XD) começa semivegetariano. Então para com carne branca também. Porém existe ovo, e leite, e mel, e que falar de gelatina? Você vai substituindo. Então você nota que usa couro! E pensa "se não como, por que visto?". Por fim "se não visto e não como, por que passo isso na pele? Por que uso para limpar a casa? Por que me embelezo com isso, sendo que me recuso a me alimentar de bichos?"

Creio que deu para entender como surge um vegano. Claro que tem velocidades diferentes, e gente que vê tudo tão rápido que vai direto para o veganismo.

Acontece que não sinto isso de muitas pessoas. Respeito, sinceramente, quem me fala que gostaria de ser vegetariano mas não consegue. Eu entendo isso, de verdade. No entanto, fico brava em ver gente que não pesquisa direito sobre os cosméticos que usa e sai dizendo que é cruelty-free. Por Deus, eu aprendi quando tinha 14 ou 15 anos, a marca quer vender e por isso ela sempre e sempre vai confirmar o que notar que quer que você confirme! Raras foram as vezes em que me admitiram que, sim, nosso sapato é de couro natural, que os pincéis da loja são de pêlo de animal, etc.

Admito, já caí em papo de vendedor. Já comprei marcas que achei que eram corretas, mas que não eram. Ou já comprei cosméticos sem nem pensar se eram ou não cruelty-free. Mas quando descobri, mudei de postura. Notei que tinha que ficar mais atenta. Pesquisei, e não é tão difícil. Tem a lista da PETA, lista nacional, blogs e mais blogs de veganos... Acabo achando que quem cai na ladainha de vendedor é por falta de pensar.

Não tem nada de ruim de você comprar produtos que testam em animais. Só que acho hipócrita e idiota você comprar sem nem pensar a respeito e, quando descobre que não é cruelty-free, ficar chateada. Você podia ter pesquisado antes! Você podia ter lido os ingredientes, na loja mesmo. Você não fez isso. Você comprou sem pensar a respeito, agora lide com isso. Mude de postura e pare de acreditar na primeira confirmação que vê de que não testa em animais! Porque, se você continuar com a mesma postura, é muito capaz que troque seis por meia dúzia!

Aviso que a Unilever se "disfarça" sob o nome de muitas, muitas outras marcas. Creio que a lista está toda aqui. Aliás, é com pesar que informo que até agora não encontrei uma marca de pasta de dente no mercado que não seja de uma empresa que realiza testes em animais. Quanto a produtos de limpeza, a única da qual tenho mais certeza é a Ypê.

Eu não peço que você se importe. Peço apenas que, caso se importe, aja de acordo com isso! Pesquise. Recoloco aqui o link da lista da PEA.

Por hoje, sinto muito, meus abraços são tristes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário