sábado, 22 de dezembro de 2012

Regras... Para ser uma lolita?!

Ooooi, lolis!

Nessa coisa de mudar de endereço de blog, acabou que encontrei uma postagem na qual eu coloquei uma poesia do Novala Takemoto, achando-a muito legal. E como este é o meu blog e contém o que eu penso, achei que era bom corrigir.

Admito, estou aproveitando essa de pegar postagens velhas para retomar coisas XD Enfim, indo para o Novala.

Ele que me perdoe, e todas as fãs dele, mas notei que não concordo muito com algumas coisas... Puxa, vida. Claro que é fofo que se fale que cada uma tem que encontrar suas próprias regras lolita, no entanto, mesmo para poesia e encarando tudo metaforicamente, por que "você não tem o direito"? Óbvio que o ideal é que você vista a roupa que faça com que você se sinta bem, independente da opinião alheia. E se você veste o que as pessoas querem, não significa que você não tem o direito de vestir aquela roupa, poxa.

Acho que levo muito a ferro e fogo até o que é dito em poesia. As afirmações do Novala Takemoto deixaram de ser poéticas para mim, porque parecem instituir algo. E sinto que ele, sem querer, acaba encorajando aquela coisa de haver um lifestyle lolita, no sentido da garota ser uma dama vitoriana.

Sei que lá no Japão nem existe esse conceito de lifestyle lolita, e que o Novala fala tudo de forma poética e tal, e com certeza não espera (eu acho O.o) que alguém leve a ferro e fogo. Mas acontece que notei que esta visão do Novala é uma com a qual não concordo mais. Parece-me encorajar a imagem de que lolitas são seres 2D, o que com certeza não é verdade...

Também acho meio... Julgador, comentar de meninas que não conhecem Sex Pistols mas que vestem Vivienne. Atualmente ela é uma roupa. Concordo que é mais legal que você lembre da ideia por trás das roupas, e seja fã do feeling que a Vivienne passa. Mas passei a considerar um tanto limitador e bobo julgar dessa forma, pelo simples motivo que cada um é um. Apesar de gostar de roupas lolita, não me vejo na obrigação de saber regras vitorianas, ou de desenhar minhas próprias roupas, ou de saber quem é o dono da Body Line (sim, eu não sabia quem era ele até este ano! XD). São roupas e me sinto feliz usando-as. Esta é a defesa de toda lolita. Por que cobrar um conhecimento além de outra pessoa, por ser outro estilo de roupa?

Para quem é fã do Novala: eu gosto dele, e tenho muito respeito e admiração pela pessoa e estilista que ele é. Não estou falando que ele é errado e eu sou certa, apenas que uma poesia que coloquei no meu blog há um ano e algo não se encaixa mais no que penso.

Falando nisso, é interessante notar como, em um ano e pouco, mudei tanto e, ao mesmo tempo, mantive muitas coisas das quais me orgulho! Fico feliz em ver o Suit Kingdom renascer, como planejo fazer em 2013.

Beijos de corações! ♥

PS: a Rika deixou aqui um comentário sobre como interpreta a poesia. Isso me fez querer saber qual a interpretação de cada uma de vocês da poesia! :3

2 comentários:

  1. eu interpreto de outra forma. ele quis dizer que lolita faz parte da sua expressão, do seu "eu", dos seus gostos, é algo que vem de dentro e que exige uma dedicação SUA e não uma imposição da sociedade/grupo social como muitas modas são com o corpo feminino e suas tendências.
    não entender sobre o que "significa" o que você está vestindo, não ter uma intenção (que não precisa ser "nobre") por trás, se torna apenas algo vazio e portanto desnecessário. isso faz parte da construção de um estilo e auto-confiança em geral, não só pra lolita imo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, entendo o.o Acho que é uma interpretação mais acertada (embora eu não saiba se existe isso de interpretação certa na poesia XD).

      Gostei da sua interpretação, Rika :3 É bem mais bonita do que o ferro e fogo que eu vi qqqq

      Excluir